Samba todo dia

Historia corrompida - Balaio de Samba

Por Diogo Felix

Você que nega tal crueldade

Você!

Sim, você que tirou minha liberdade

E hoje, nos seus livros de historia esconde toda a verdade.

– Professor…

Não o culpo, és mais um a mercê deste sistema sem escrúpulos.

Que oculta toda a poeira embaixo do tapete.

– Sorrindo…

E sorrindo, tenta nos comprar com banquetes.

Você!

“Representante” deste pais de cultura vasta.

Menosprezando, uma historia, uma etnia, ou como tu preferes: uma raça.

Por favor…

Tenha respeito!

Por esse povo que lutou, clamou e chorou. E leva tantas feridas, não mais na pele, mas no peito.

Eu, por exemplo.

Não soube disso dentro de uma sala de aula.

Pesquisas e estudos, relatam o sangue que rolou sem cessar nas senzalas.

Sangue.

Sangue esse, que hoje corre em minhas veias.

Entendas!

Somos todos ligados por essa imensa arvore, raízes e troncos. Assim como o fio mais resistente de uma teia.

Portanto.

Não tente negar minha historia, nem tão pouco à esquecer.

Pois sou apenas mais um, de milhões, enviados para a cultura afro enaltecer.

27.02.2015